Repórter que é repórter não sai da rua

Por Maiara Pires – 17.02.17

No dia 16 de fevereiro, comemorou-se o Dia do Repórter, esta célebre profissão que nem todos os que se dizem jornalistas, conseguem de fato exercer. Esta carência de repórteres, em boa parte se deve ao comodismo que grudou como carrapato em certos seres. Ao invés de eles se apropriarem da tecnologia como uma aliada na celeridade da pauta, o que fazem é ir na ‘onda’ do “repassado de outro grupo” nos WhatsApps da vida.

O que tem de jornalista repassando informação seja de boca a boca ou por aplicativos de mensagens sem checar, é brincadeira! Perdeu-se o princípio básico de apurar tudo o que chega aos ouvidos. Como se não bastasse isso, ainda tem aqueles que querem disputar audiência com o internauta nas redes sociais.

Deixa eu te falar:

Se você sair um pouquinho do ar refrigerado da redação, vai perceber muita coisa acontecendo fora da internet. Tu não precisarás te ater a uma pauta gerada nas redes sociais, tá?! Aí, não precisarás ficar com aquela sensação de que perdeu para o internauta que deu a notícia primeiro que você. A diferença entre vocês dois, é que você não está ou não deveria estar no automático porque o (a) senhor (a) irá processar a informação antes de publicá-la.

Repórter é pra quem tem o instinto da apuração. Se tu não tens este senso, nem te habilita. Tu não és papagaio pra repetir o que falaram pra ti. Sabe aquele computador que precisa processar o comando operacional pra poder funcionar? Pois é. É mais ou menos assim que deve acontecer com o repórter. Ele ouve a informação, checa com o outro lado, liga os pontos e conecta no cerne da questão.

Mas, para desenvolver esta habilidade é necessário sair do casulo e ‘bater perna’ na rua. Pegar a luneta do ceticismo e olhar clinicamente para descobrir o que tem nas entrelinhas do acontecido. A curiosidade sempre será uma eterna aliada neste processo. Não deixa ela dormir, senão tu vais passar batido.

Para de bater palma pra quem tem obrigação de fazer e se vista de cidadão. Vai lá na barba da ‘otoridade’ e mete o corpo inteiro onde tu não fostes chamado. Porque se tu não foste chamado, é porque não querem que o povo saiba. Então, te manda pra rua. Porque é lá que é o teu lugar.

Perfis digigráficos: comportamento

Por Cíntia Souza – 02/12/2016.

Há quatro anos, a agência DM9 apresentou um conceito inovador sobre o comportamento digital. A agência passou a chamar aquela descoberta, realizada por meio de pesquisa e observação, de perfil digigráfico. O resultado da nova definição alterou significativamente a forma como as empresas e especialistas lidam com o usuário da internet até os dias de hoje. Você já deve ter percebido como a inovação tecnológica acelera as mudanças no nosso comportamento, certo? Beleza. Então, será que esse novo comportamento digital está moldando nossa identidade?

Você sabe qual é o seu perfil digigráfico? Assista aí esse o vídeo e comente com a gente com qual deles você mais se identifica. Se é que se identifica, rsrs.

 

Os critérios que a pesquisa da DM9 utilizou para definir os novos perfis, levam em consideração a frequência, a forma e o propósito do usuário ao utilizar a internet, e deixa de lado as diferenças de gênero, faixa etária e classe social. É mesmo interessante. Já pensou se o IBGE incluísse os mesmo indicativos nas pesquisas demográficas? Hum…deixa pra lá!

Pois bem, essa observação é o que nós aqui da agência Crível também levamos em consideração a cada nova campanhas de marketing digital. Essas informações nos servem de subsídios para entendermos melhor o comportamento do nosso público alvo, e assim obtermos sucesso na construção de nossos relacionamentos.

Como acontece na prática?

Quando promovemos uma campanha na internet (por meio das mídias sociais, por exemplo), seja para atrair novos clientes, fidelizá-los ou lançar produtos e serviços (posicionando a marca no mercado) fazemos um estudo prévio sobre o comportamento digital do nosso público alvo para encontrá-lo na rede, atraí-lo e envolvê-lo a fim de atingirmos nossas metas. É nesse processo que utilizamos, além de conteúdo estratégico, ferramentas de otimização, como as disponíveis nas plataformas do Facebook (Ads) e o Google (AdWords). Essas ferramentas também nos fornecem dados, que chamamos de métricas, que servem para conduzirmos e avaliarmos a performance da nossa campanha.

Parece difícil? Não é! Com profissionais competentes à frente de um planejamento estratégico ideal, que leve em consideração as metas do seu empreendimento,

Para saber mais sobre os perfis digigráficos acesse: Os Perfis Digigráficos


 

Seja bem-vindo ao mundo Crível!

_DSC0410

Por Cíntia Souza – Em 24/06/2016.

Todos os dias surgem milhares de agências de comunicação pelo país, e o mercado amapaense acompanha essa tendência. Então como diferenciá-las? Qual delas contratar? Afinal, aprimorar a comunicação da sua empresa é fator essencial para obter sucesso nos negócios. 

Surgimos em 2014, e hoje somos uma das melhores apostas em agências de comunicação no mercado amapaense, principalmente quando o assunto é comunicação organizacional. Nossa atuação acompanha as inovações tecnológicas e as adequações que essas mudanças provocam. Aliás, somos a dose exata do vanguardismo que tanto nos seduz e da poesia épica dos conceitos técnicos transmitido no passado. Somos uma fusão entre o ontem e o amanhã, que tem o único objetivo de transformar o hoje em um momento que dê sentido pleno à vida.

Nossa equipe é formada por especialistas em diferentes setores que percorrem caminhos entre a publicidade, o marketing digital, o design, a fotografia e a assessoria de imprensa. Nossa equipe é formada por gente focada em qualidade de vida, focada em realização pessoal, mas sobretudo coletiva. Estamos construindo um mundo crível de novas possibilidades para viabilizar a realização de sonhos. Dos nossos e de nossos clientes.

Ah, os nossos clientes? Bem, cada projeto, cada campanha que adotamos é uma parte da nossa vida narrada pelos sonhos do outro. Talvez essa seja a única explicação para o nosso total engajamento em busca dos melhores resultados, sempre! Afinal, fazer comunicação social planejada e pensada de forma estratégica requer metodologia e motivação, requer conhecimento, lastro cientifico e comprometimento com metas a serem alcançadas. Requer, credibilidade. E disso nós entendemos. Somos Crível!